Historietas Inquietas (Parte I)

junho 26, 2016 at 2:49 am 1 comentário

Oi, pessoal!

Publico agora a primeira parte de um projeto chamado Historietas Inquietas. Depois que o comecei fiquei sem saber bem o que fazer com ele: publicá-lo como um ebook? Uni-lo a outro ebook meu ainda inacabado?
Na dúvida, optei por postá-lo aqui no blog.
Quantas historietas serão? Talvez uma dez.
Boa leitura.

HISTORIETAS INQUIETAS (Parte I)

 1. ALAIN E ALINE

Conforme havia cuidadosamente planejado, do jardim exuberante, que ficava no alto daquela colina, onde crescia uma lista variada de maravilhas mortais, foi desse lugar que ele colheu uma fruta cítrica, de gosto doce e agradável como nunca se viu e, em cujo suco, estava o mais fatal dos venenos conhecidos. Ele a observou com cuidado, relembrando todas as horas de estudo que gastou sobre aquele fruto.

E foi essa fruta que ele deu gentilmente a sua amada. Ela hesitou, mas ele lembrou-lhe do pacto que haviam feito, do tempo que gastaram discutindo os detalhes e de como haviam jurado, um ao outro, levar aquela ideia adiante. Por fim, como prova de amor, suplicou que ela comesse. A moça atendeu e agonizou, em dores excruciantes, por não mais que cinco minutos, até que a vida abandonou-lhe os olhos e seu corpo tornou-se imóvel, como as pedras no fundo do rio em cuja margem ele e ela deram o primeiro beijo.

Depois, ele levou o cadáver ao alto da colina e no jardim sepultou sua amada. Lá permaneceu por três longos dias, rezando pelo corpo e derramando sobre aquele túmulo lágrimas e os mais belos poemas que já pôde criar.

Por fim, desceu de volta até a vila. Com o pacto em mente — sua amada cumprira a parte dela —, refugiou-se no seu quarto e, usando a faca que ganhara de seu amor no último verão, cortou a própria garganta de um lado a outro.

Em seu último pensamento, lembrou-se do que havia dito a sua amada, há um mês, quando o plano dos dois se iniciara:

— Nosso amor é belo e perfeito demais para um mundo assim tão feio e imperfeito. Não há lugar para nós aqui. Devíamos partir dele juntos…

FIM

2. A COMUNIDADE E O CLUBE

Além da vila, havia uma floresta e nela morava uma comunidade de canibais. Por muito tempo, eles sobreviveram sem se importar com o restante do mundo, devorando um ou outro membro da tribo, quando a fome vinha lhes incomodar o estômago.

Mas, naquele verão, sentiam-se enfastiados do gosto de seu próprio povo, assim decidiram descer para vila em busca de sabores diferentes.

Na vila, reunia-se, todo ano, sempre naquela mesma época, o Clube dos Escritores Indecisos em Busca do Livro Perfeito, que recebia esse nome porque cada um de seus membros gastava toda sua vida preocupado em como poderia escrever o livro perfeito e jamais escrevia livro algum.

Os canibais invadiram a vila furtivamente e foram se esconder nos arredores da reunião do clube. Por um tempo, escutaram interessados os debates incessantes e infrutíferos daqueles autores. Às vezes, sorriam da ingenuidade ou irracionalidade da argumentação, mas acabaram por serem tomados pelo tédio e pela fome.

Então, armados com porretes, avançaram festa a dentro e, com a carne dos escritores, fizeram um banquete.

FIM

3.O PREÇO DO FEIJÃO

Naquele ano, tudo o que se falava no país era sobre o preço elevado do feijão. As pessoas preocupavam-se como se estivessem discutindo o fim do mundo.

Em Brejo da Madre de Deus, cidade do interior de Pernambuco, não foi diferente. Lá, porém, algo pelo menos inusitado ocorreu:

Foi na Mercearia de Seu Lupércio. Ele conseguiu, sabe-se Deus de onde, uma nova marca de feijão, com um nome que muita gente se engasgava para pronunciar: “Feijão Oppenheimer ”.

Logo na entrada da mercearia, o comerciante colocou duas sacas de feijão, uma do tipo normal, que todo mundo conhecia, e a outra do Oppenheimer. Como se dizia homem de muita consciência, Seu Lupércio fixou de lado do novo produto uma placa com a seguinte advertência:

“O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE: FEIJÕES OPPENHEIMER. CEREAL ALTAMENTE RADIATIVO. CULTIVADO EM SOLO DE TESTES NUCLEARES. GRAVES RISCOS PARA O CONSUMIDOR, INCLUINDO TUMORES, CÂNCER DIVERSOS, DEFORMAÇÕES EM FETOS, IMPOTÊNCIA E ESTERILIDADE”.

Claro que as pessoas liam a advertência, mas quando viam as placas com os preços dos dois feijões…

FEIJÃO COMUM R$ 21,00 1 KG  – FEIJÃO OPPENHEIMER R$ 2,00 1 KG

…Não se demoravam a decidir.

E assim filas se formaram na frente da mercearia. As sacas de feijão Oppenheirmer que Seu Lupércio trouxera se esgotaram num mesmo dia.

Do lado de fora, Seu Nalternor — poeta fracassado e bêbado, que vivia sua vida dormindo caído nas calçadas e filosofando sobre o mundo — olhava aquela cena e dizia para si mesmo:

— Ó musa, tal é a natureza humana…

FIM

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

DUETO UMA ROSA PARA RAFAELA

1 Comentário Add your own

  • 1. Gutto  |  julho 5, 2016 às 7:33 pm

    Dessa leva, o primeiro contículo é o meu predileto, embora tenha achado o primeiro parágrafo um tanto truncado. Além do estranhamento corriqueiro que seus textos me causam, senti neste algo de tocante, de lírico.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

junho 2016
S T Q Q S S D
« maio   jul »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Most Recent Posts


%d blogueiros gostam disto: