Os Mereges – Parte II de V

outubro 23, 2010 at 1:59 am 3 comentários

Do Bestiário de Miguel de Amarante
Páginas 124-128


Os Mereges, Criaturas de Muitas Cores

Por Rita Maria Felix da Silva

“Em minha juventude, por tantas Terras, universos e mundos, eu viajei e variedades tão diferentes dessas criaturas pude encontrar…” (Petrus Elacianus, o Erudito)

Introdução: De acordo com as versões mais aceitas sobre este assunto, formou-se entre os eruditos a crença de que todos os mereges vieram de um mesmo mundo, embora ninguém saiba dizer-lhe o nome ou a localização. De lá, espalharam-se pelo multiverso e a espécie se dividiu em pelo menos cinco outras diferentes.

Obs: se você ainda não leu sobre os Mereges Brancos, pode clicar aqui


II – Mereges Vermelhos

Os mereges vermelhos são caçadores e vivem em espelhos.

Têm a forma de triângulos rubros equiláteros, cujos lados são de um tamanho muito próximo à distância entre as pontas do polegar e dedo mínimo de uma mão humana. Igualmente, sua espessura não excede a de uma folha de papel.

Sabe-se que os únicos mereges vermelhos conhecidos são machos, pois, conforme explica o já mencionado Elacianus, uma história conta que as fêmeas deles partiram para lugar desconhecido, após uma discussão irreconciliável de natureza sentimental e filosófica.

Então, os machos vieram se refugiar em uma dos inúmeros planetas Terra do multiverso. Lá eles se escondem em espelhos e poderiam passar uma vida inteira indetectáveis, desde que são capazes de disfarçarem-se com o vidro e ficarem imóveis, pois não precisam se alimentar (suas reservas internas de energia são o bastante para mantê-los talvez indefinidamente), nem padecem de sono, sede ou doenças.

Como falamos, não precisam de alimento, mas são caçadores vaidosos e gostam de coletar prêmios. Na estranha psicologia desse povo, esses prêmios são um fator muito importante para a autoestima e um merege vermelho que passasse toda sua existência sem capturar um prêmio que fosse, iriam se cobrir de vergonha perante os olhos de seus semelhantes (conta-se que, periodicamente, eles deixam os espelhos e reúnem-se em lugares ermos para compartilharem suas histórias de caçada. A trajetória até esses locais é facilitada porque, como ocorreu com outras espécies de mereges, os vermelhos desenvolveram a telecinésia a qual usam para se deslocar na forma de levitação).

Mereges vermelhos caçam pessoas. Eles aguardam pacientemente dentro de um espelho, até que alguém apaixonado, mas afligido pela dor da perda ou rejeição, um ser humano tão desolado, para quem viver tornou-se quase insuportável, vem chorar diante daquele vidro.

Então, o merege salta sobre a pessoa e devora-lhe a alma. Depois se afasta do cadáver de sua vítima, volta satisfeito para seu abrigo vítreo e lá fica aguardando a presa seguinte.

Dedicado a Diogo

A seguir: Os Mereges Amarelos

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

YANA Os Mereges – Parte III de V

3 Comentários Add your own

  • 1. angela oiticica  |  outubro 23, 2010 às 3:10 pm

    Gostei da leitura.

    Responder
  • 2. Daniel Folador Rossi  |  dezembro 17, 2010 às 9:42 pm

    Continue criando lendas e histórias =)

    Responder
  • 3. Rita Maria Felix da Silva  |  dezembro 18, 2010 às 10:43 am

    Angela e Daniel,
    Obrigada

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

outubro 2010
S T Q Q S S D
« set   nov »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Most Recent Posts


%d blogueiros gostam disto: