Ode para Cassimir

março 17, 2010 at 5:15 am 6 comentários

Pessoal,
Outro poema meu. Como minhas poesias são menos conhecidas que meus textos, quero aproveitar uma oportunidade ou outra para divulgá-las aqui.
Este foi escrito um pouquinho antes de Netz-Otpec e antecipa um pouco como minhas poesias seriam mais adiante.
Boa leitura
Beijos
Rita

ODE PARA CASSIMIR
Por Rita Maria Felix da Silva

Ó, nobre guerreiro,
lamento tua sorte…

Onde estão teus deuses,
que te abandonaram?
E onde estavam os meus,
que não te protegeram para mim?

Ó, nobre guerreiro,
maldigo tua sorte…

Tu, que tanto fostes,
orgulho para teu povo,
tombas sem piedade,
por mãos de inimigos,
nesta terra estranha,
em morte desonrosa…

Ó, nobre guerreiro,
choro por tua sorte…

Jamais nascerá teu filho,
termina aqui tua linhagem….

Quem cantará teu nome?
Quem contará teus feitos?
Se sequer serás lembrado…

Ó, nobre guerreiro,
blasfemo por tua sorte…

Meu canto macula o vento
e logo é dissipado….
Dele nada mais restará,
como nada mais resta de ti….

Porém, ó nobre guerreiro,
no reino da Morte,
guarda minhas palavras,
e lembra-te que sofro por ti…

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

Otto Rimbaud, o Relojoeiro A Desolação do Teu Olhar

6 Comentários Add your own

  • 1. Mensageiro Obscuro  |  março 17, 2010 às 6:13 am

    Assim como o guerreiro do texto a minha linhagem também morrerá comigo, pois farei vasectomia nesse ano sem deixar filho algum no mundo, mas deixarei livros e árvores plantadas que para mim valem bem mais. Todos os meus bens já tem destino certo desde os meus 16 anos. Torço apenas para que meus livros circulem pelo Brasil e pelo mundo para traçar minha imortalidade intelectual.

    Responder
  • 2. Yarin  |  março 17, 2010 às 4:21 pm

    bem, eu quero ter filhos, meu sangue nao pode morrer…

    Responder
  • 3. IC. Lappa (Israel carvalho)  |  março 17, 2010 às 11:55 pm

    caraca o cara já quer isso da vida rsrsrs
    acho que tambem vou fazer o mesmo pois sou uma maquina reprodutora… Brincadeira.
    O Texto esta bem legal, e como sempre quando estiver outro mantenha-me atualizado do seu blog um abraço

    Responder
  • 4. Edgley Félix  |  março 19, 2010 às 2:48 am

    Adorei o seu poema, muito criativo é simplismente fantástico.
    Parabéns !!!

    Responder
  • 5. Guilherme Shimabuko  |  março 19, 2010 às 11:43 pm

    Rita,
    Tenho que dizer que te respeito muito e que vejo seus textos como uma grande inspiraçao. Sou novo e só o que posso dizer é que um dia eu quero ser um escritor tao bom quanto você.
    Adorei esse poema assim como os outros que li. E eu estou me esforçando (apesar da falta de tempo) para escrever o seu desafio e fazer jus ao poema inspirador do meu.

    Abraços de um grande admirador de sua escrita,
    Guilherme Shimabuko

    Responder
  • 6. Alex Voorhees  |  julho 31, 2012 às 4:09 am

    Bem legal o seu poema, descreve bem a dor da perda mas como forma de lamento. A parte de que não haverá uma linhagem foi bem colocada. Parabéns, Rita!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

março 2010
S T Q Q S S D
« fev   abr »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Most Recent Posts


%d blogueiros gostam disto: