NETZ-OTPEC

fevereiro 22, 2010 at 5:22 am 8 comentários

Segue outro poema meu.
Beijos
Rita

NETZ-OTPEC
Por Rita Maria Felix da Silva

Netz-Otpec era um bravo
de indomáveis e distantes terras
Nunca temeu homem ou fera,
nem se curvou a mestres ou reis.

Semblante feroz como a guerra
Coração mais afiado que a espada
Cedo se fez herói em batalha
e conquistou fama e louvores.

Matou monstros indizíveis
e guerreiros presunçosos
Dele se fez grandes histórias
que o tempo ansiou apagar.

Mas um dia tornou-se velho
O corpo traiu-lhe as forças
Buscou refúgio num leito
para esperar um final.

Na espera adormeceu
e os deuses mandaram um sonho
feito de arrogância divina
e de alguma verdade profunda.

No sonho sonhou outra vida
simples, pacata e boa
preenchida de uma felicidade
como seu coração nunca vira.

Para que guerras e matanças,
fama, riquezas e conflito sem fim?
Por que este outro caminho não escolhi?
— dormindo, se perguntou.

Dormindo, deixou cair uma lágrima
por uma vida feita pela espada
Os deuses se comoveram
e sonhando ele morreu.

Pela mão da morte,
levaram seu espírito,
para o sonho de uma outra vida
e nesse sonho ele despertou.

Era uma vida simples, pacata e boa
de felicidade calma e duradoura
Não lembrava do guerreiro que fora
e sua nova vida ele apenas viveu

Enquanto em outro mundo, outra vida
uma espada jazia inútil e perdida
por seu mestre para sempre esquecida
pois seu caminho terminou.

(Dedicado a Maxxx Turbo).

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

BOLERO O VALE DE GURJAL-AL-FADI

8 Comentários Add your own

  • 1. IC. Lappa (Israel carvalho)  |  fevereiro 23, 2010 às 2:37 am

    vou te falar, essa poesia esta digna de um mundo paralelo medieval como senhor dos aneis ou ate mesmo Good of War não sei se você curte essas coisas, só sei dizer que esta muito bom , parece até mesmo que um bardo ou hoberti esta narrando rsrsr muito gostoso de ler adorei, um beijo aguardo outras.

    Responder
    • 2. Rita Maria Felix da Silva  |  fevereiro 23, 2010 às 2:47 am

      Israel, muito obrigada pelo comentário.
      Sim, curto as coisas de que você falou.
      Beijos
      Rita

      Responder
    • 3. Mensageiro Obscuro  |  fevereiro 28, 2010 às 6:15 pm

      O nome do jogo é God of War e é um jogaço de primeira linha.

      Responder
  • 4. gladis deble  |  fevereiro 24, 2010 às 11:20 am

    Belo poema viajei junto com o personagem da história.
    Parabéns pela criatividade e capacidade de organizar
    tão bem o encadeamento das idéias.
    Beijos
    Gladis

    Responder
  • 5. gladis deble  |  fevereiro 24, 2010 às 11:24 am

    Rita, Entrei na historia e viajei junto com
    o personagem por este belo poema.
    Parabéns pela criatividade e pelo
    encadeamento e ritmo que consegues
    dar.Adorei.
    Beijo

    Responder
  • 6. Edgley Félix  |  fevereiro 24, 2010 às 2:09 pm

    Mas uma vez um ótimo conto, com a marca de Rita Maria.
    PARABÉNS !!!!!

    Responder
  • 7. Mensageiro Obscuro  |  fevereiro 28, 2010 às 6:16 pm

    Rita,

    Gosto da forma como você organiza idéias, ao mesmo tempo que esse texto é um poema seria também um miniconto.

    Beijos.

    Responder
  • 8. Tutankhamen  |  março 1, 2010 às 7:29 pm

    Realmente tenho que concordar com todos!
    Eu viajei junto com o poema, simplesmente maravilhoso rsrs
    e olha que eu não sou fã de poemas!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

fevereiro 2010
S T Q Q S S D
« jan   mar »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728

Most Recent Posts


%d blogueiros gostam disto: