Bizarrias 1 de 7 – A Pequena Ludumila Lendo


Olá, pessoal,

Logo, logo, assim queiram os deuses, poderei postar aqui novos textos e novas tiras das séries “Kika e Morgana” e “As Lições de Mestre Ogeid”.

Assim, para esta atualização, posto o começo de uma nova série de tiras: “Bizarrias”. A arte é do notável Clayton InLoco, criador, desenhista e roteirista de “Hurulla”, um dos melhores quadrinhos nacionais que já vi.

Boa leitura.



bizarrias 1 de 7

julho 3, 2014 at 1:44 am Deixe um comentário

Kika e Morgana -Tira 02

Oi, gente,

Com vocês, a segunda tira de Kika e Morgana. Em nome de mim mesma, de Adriana e Diego José, obrigada por aqueles que gostaram da primeira tira. Temos pelo menos mais uma tira com esses personagens em nosso planejamento.
Boa leitura!
Kika e Morgana 02

maio 31, 2014 at 5:10 am Deixe um comentário

Kika e Morgana – Tira 01

Oi, pessoal,

Na atualização desta semana, trago para vocês esta tirinha, que é um trabalho de seis mãos: criada por Adriana Rodrigues (Strix), Diego José e eu; e desenhada por Diego José. Temos a previsão de pelo menos mais duas tirinhas nesse micro-universo. Boa leitura.
Beijos
Rita

Kika e morgana-tira01

maio 20, 2014 at 3:49 am 1 comentário

Solidão (HQ)

Pessoal,

Continuando uma fase de atualizações um pouco diferente, posto esta hq. Fiz o roteiro que foi magnificamente desenhando por Clayton InLoco, o escritor e artista de Hurulla, um quadrinho brasileiro da mais alta qualidade e que todos deviam ler. Estou honrada por ter Clayton desenhando algo meu.

Boa leitura!
solidão-(2)
P.S. Os mais curiosos vão notar que o rosto do Dr. Lottar Gan Amon é baseado na face do escritor americano e pesquisador do oculto Charles Fort.

abril 20, 2014 at 2:25 am 2 comentários

Lição de Etiqueta (HQ)

 

Oi, pessoal,

Para esta atualização, escolhi postar a HQ “Lição de Etiqueta”, que é uma adaptação de um conto meu e foi brilhantemente desenhada por Diego José. Agradecimentos a ele e ao amigo Matheus, o qual aceitou ser personagem desta hq.

Boa Leitura.

lição2

abril 18, 2014 at 7:04 pm 1 comentário

Amórficas 06 de 07 – As Lições de Mestre Ogeid Zakharov

Oi, pessoal,

Para a atualização desta semana, trago uma história em quadrinhos de um único quadro. O texto é meu e a arte é do (brilhante) Diego José.
Uma curiosidade para meus leitores mais atentos: Olga Charpentier (cujo trecho de memórias aparece nesta história), é a mãe de Morton, personagem título do conto de mesmo nome.
Boa leitura!
Beijos
Rita
amórficas2

abril 6, 2014 at 3:42 am Deixe um comentário

JASON

JASON
Por Rita Maria Felix da Silva

Certa manhã, Jason, um pequeno demônio adolescente, de pele azulada, como é comum a maioria dos habitantes da Terra de Twanlandi, uma região na fronteira Leste do Inferno, a mesma que separa aquele reino lamentável e o Céu, acordou com uma nova idéia na cabeça.

Por que os anjos devem ser uma espécie popular e querida pelos humanos, enquanto aos demônios resta serem desprezados e amaldiçoados por todas as bocas? – Indagou-se ele. Isso precisava acabar. Que tal pôr fim a essa guerra sem sentido contra a espécie angelical, um conflito antigo e caduco, mantido por um ódio e revolta que apenas os mais velhos e caducos ainda retem no coração? Uma batalha sem fim que esgota os recursos do Inferno e torna miserável a vida de toda a espécie demoníaca… Se os demônios pudessem mudar sua conduta, parassem de seguir os preceitos dos mais velhos e passassem a se mostrar como algo melhor para a humanidade, algo que os humanos poderiam aceitar e até amar…

Entusiasmado, Jason correu até Kakanty, outro demônio adolescente e seu melhor amigo, que trabalhava com o pai, numa das forjas do Inferno (porque, como é sabido por todos, entre os demônios estão os melhores ferreiros do universo).

Já diante de Kakanty, após terminar seu pequeno, otimista e entusiasta discurso sobre sua idéia extraordinária, sem esquecer-se de enfatizar que ela traria grandes mudanças e um tempo melhor para todos, Jason olhou fixamente no rosto do amigo esperando uma resposta…

Kakanty apenas pegou um tridente recém forjado por ele mesmo e atravessou o peito de Jason, que, numa mistura terrível de dor e perplexidade, caiu ali mesmo e sangrou até perecer.

Kakanty olhou para o cadáver do amigo e, silenciosamente, pediu-lhe perdão. Depois removeu o tridente, atirou o corpo nas chamas da forja e suspirou entristecido… Era como seu pai havia lhe ensinado: as coisas são boas do jeito que são. Por que mudá-las? Para o bem de todos, o status quo deve ser mantido.

FIM

Dedicado a Diego José

março 26, 2014 at 6:12 pm 3 comentários

Posts mais antigos


Categorias

  • Blogroll

  • Feeds


    Seguir

    Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.